Da Autora Caroline Defanti

Da Editora Arwen

De 2015

Com 431 páginas


Sabe quando você vai lendo um livro, ele vai chegando ao fim e vai batendo um desespero por saber que o livro termina mas a historia continua e você não tem a continuação? Esse é meu sentimento nesse exato momento PRECISO DO PRÓXIMO!

" Em um futuro longínquo, a quase extinção do ser humano fez com que os poucos que restaram lutassem pela sobrevivência em colonias extraterrestres. Entretanto, alienígenas se apossam da Terra e a curam, mas os homem desejam ter seu planeta e suas vidas de volta."

Quando li a sinopse do livro pela primeira vez, achei que talvez não fosse curtir, porque se trata de uma historia que envolve um futuro longínquo e extraterrestres, mas fato é: amei a historia!

Curiosos? Em A Irmandade (primeiro livro da serie) fui apresentada a uma realidade futurística em que o planeta Terra foi totalmente destruído e alguns poucos seres humanos foram agraciados com a possibilidade de se mudar para uma colônia na Lua e uma em Marte. Com o planeta desabitado pelos humanos, uma raça alienígena se instalou aqui, esses ETs foram denominados pelos humanos como Copranos. 

Os Copranos conseguiram “consertar” a Terra e fizeram cidades por aqui, vendo o planeta saudável e novamente habitável os humanos decidiram lutar com os invasores e retomar o que acreditam ser de seu direito.

A nova sociedade humana é dividida em quatro categorias:
  • Superiores: grupo de anciãos que tem por função tomar decisões e governar as comunidades;
  • Irmãos: humanos que tiveram seu DNA misturado com o dos Copranos e assim adquiriram habilidades especiais, sua função é proteger a raça humana e lutar contra os Copranos para reaver a Terra;
  • Cientistas: responsáveis pela combinação de DNA, clonagem, fabricação de ração para população, medicamentos e todo tipo de pesquisa e desenvolvimento tecnológico;
"Os cientistas se afastaram apavorados quando a pele das costas do rapaz se rompeu, fazendo o sangue espirrar em volta como se uma bomba de tinta vermelha tivesse explodido no laboratório. Nem o vidro do tanque conseguiu resistir e se estilhaçou."
  • População: faz os trabalhos braçais;

Como o subtítulo do livro já deixa claro, o grupo mais presente nessa historia são os Irmãos, eles vivem em uma mansão toda equipada para que possam treinar e desenvolver suas habilidades especiais. Para ingressar na Irmandade, é preciso passar por um treinamento rigoroso, passar pela terrível combinação de DNAs e por fim um teste pelo qual a morte é facilmente alcançada.

Os Irmãos vão a terra frequentemente, suas expedições englobam diversas tarefas como buscar água, plantas, alimentos, proteger os cientistas que vão fazer explorações, e sempre que possível descobrir mais informações sobre os terríveis Copranos.

"Daqueles que haviam sido escalados para aquela missão, ele e Padre eram os únicos que ainda estavam vivos. Alem da terrível dor que sentia, Cara também notava algo muito errado ali, mas não podia se dar o luxo de voltar, porque seu amigo melhor amigo, um de seus Irmãos, havia sido levado pelo inimigo."

Já os Sherriell (conhecidos pelos humanos como Copranos) são criaturas extremamente altas e fortes, de pele escura e sem nariz. Eles são pacíficos e conectados com a natureza, respeitam a flora e fauna do planeta que os abriga. Os sherriell seguem uma divindade chamada Copra (dai a nomenclatura “Copranos”), uma deusa que tudo sabe, tudo vê e que os guia em busca de elevação e iluminação.

"Aquele Coprano era muito estranho. Sua gentileza chegava a ser suspeita. Ele havia trazido roupas, comida e água - essa ultima com mais frequência. Mas Musa rechaçava tudo. De jeito nenhum comeria o que ele oferecia. Não somente por temer que a envenenassem ou algo parecido, poia a morte não a assustava. Temia que eles estivessem tentando fazer com que ela falasse sobre seu povo, suas fraquezas e planos contra os Copranos. Temia que a fizessem revelar algo seus Irmãos."

Nessa historia dois irmãos acabam convivendo com os Sherriells e descobrem suas verdadeiras intenções no planeta.

O livro é perfeito.

A historia é envolvente, super detalhista, pude imaginar cada coisinha, cada detalhe. Todos os personagens são complexos e carregam uma historia que é apresentada aos poucos na forma de flashback.

Não bastando isso, o livro ainda tem um glossário nas ultimas paginas que contem um registro de cada Irmão da Irmandade com seus nomes, habilidades e tudo mais. Tem um dicionário da língua dos Sherriell e ainda uma parte que explica um pouco sobre a nova sociedade dos humanos e afins.

Indico essa historia para quem curte aventuras, surpresas de fazer o coração parar e um certo drama.

Eu sou totalmente #teamcopranos hahah


AI E DAIE SO VERSTA E NINSEN E NA LA VULVIRE



Essa é a Luana Barros, ela tem 30 anos, nasceu na cidade de Goiânia e mora em Brasília há doze anos, filha de servidores públicos, foi para a Capital Federal fazer faculdade de Publicidade e Propaganda no UniCEUB e por lá ficou. Por la acabou fazendo amizades que leva no coração ate hoje e acabou também virando servidora publica. Entretanto a paixão pela escrita nunca foi esquecida.
A autora mantém a página “Luana Barros - Romances” no facebook e o Instagram “@porummundocommaispoesia” e “@luanabarrosescritora”, nos quais posta poesias e notícias de seus livros. 

Ela ja tem os livros de romance “Amar Vale a Pena”, "Amar Vale a Pena - Recomeçar" e “Um Anjo na Terra”publicados, os dois últimos  pela Chiado Editora.

Vamos as perguntas e respostas?!

1 - Qual foi o primeiro livro que você leu e te fez começar a gostar do universo literário?
Noite na Taverna de Álvares de Azevedo foi um dos primeiros livros que me fizeram gostar deste universo. Fiquei impressionadíssima com o que li ali!


2 - O que você acha de blogueiros fanáticos por livros?

Acho totalmente compreensível! Também sou fanática por livros! (risos) E vejo os blogueiros como uma ponte entre os autores novos e os leitores.


3 - Lendo um romance, vendo um filme, uma novela, gostaria de mudar o final? 

Raramente. Engraçado porque não gosto de escrever finais tristes... Mas em livros que leio não me importo que isso aconteça.


4 - Quando começou a escrever, já fazia planos de seguir carreira?
Nem passava pela minha cabeça. Comecei a escrever meu livro num momento em que minha vida estava muito conturbada. Fui por fuga!
Mas uma fuga que deu tão certo que me apaixonei! RS

5 - Além de escrever o que mais faz?
Eu trabalho como servidora pública no Detran do Distrito Federal. Mas também amo ler! Adoro sair com meus amigos, e amo viajar!


6 - Musica de fundo é indispensável?
Poucas vezes coloquei música para escrever... E quando coloquei era música clássica.


7 - É notívago ou só cria à luz do dia?
Mas sou mais noturna. Adoro o silêncio da noite.


8 - O que é mais difícil: a primeira ou a ultima frase?
A última! Sem sombra de dúvidas! Sempre entro em crise antes de terminar um livro.


9 - Quem foi seu primeiro leitor? Você mesmo? Seu gato/cachorro? Amigo? Família? Ou juntou todos em uma avant-premiere?
Minha amiga Diana! Menti para ela que o livro era de outra amiga minha. Mas devido às expressões e o jeito das personagens, minha amiga descobriu que o livro era meu e que ela era uma das personagens! (risos)


10 - De onde vieram seus personagens? São inspirados em pessoas reais?

A Paty do livro Amar Vale a Pena – Recomeçar foi inspirada nessa amiga minha. Na Diana. Mas depois não fiz mais isso... Achei meio perigoso. Confesso que tenho alguns personagens difíceis de lidar e um tanto quanto chatos inspirados em pessoas bem próximas, mas elas não desconfiam. E quando começam a falar mal de tais personagens eu me acabo de rir!


11 - O que é mais chato na vida de um escritor?

Acho que o chato é precisar se vender. Tenho um pouco de preguiça.


12 - O que é mais legal na vida de um escritor?
Se infiltrar numa estória maluca, na qual você pode fazer o que quiser! Como se fosse o Deus daquele Universo. A sensação é incrível! Posso matar e fazer nascer! Renascer... Matar de novo! rsrs


13 - Qual de seus personagens/obras é o favorito?
Ah! Tenho vários. Mas o Eduardo do livro “Amar Vale a Pena – Recomeçar” roubou meu coração. Ele se mostra frio no começo e depois começa a expressar seu amor em poesias lindas. (Ops! Spoiler!)


14 - Curiosidades sobre seu livro;
Agora você me apertou...
Bem... Há inúmeras cenas nos livros que realmente foram vividas por mim ou por outras pessoas. Isso também ocorre com algumas falas.

O livro “Um Anjo na Terra” tem como cenários várias cidades, mas duas em especial! Paraúna que é a cidade da minha avó materna e Patos de Minas que é a cidade do meu avô materno. Quis fazer essa homenagem a eles.
O livro “Amar Vale a Pena – Recomeçar” que se passa em Londres possui personagens muito parecidos com pessoas que realmente convivi quando morei na capital da Inglaterra.


15 - Você já tem algum novo trabalho em mente?
Sim! Em mente e em papel. Meu quarto livro está quase pronto! Acho que será literatura fantástica! Só acho... rsrs


Sinopse do livro Um Anjo na Terra: 

"E quando um anjo é enviado à Terra para realizar um desejo de cada pessoa? Será que daria certo? O que elas pediriam? Será que ele atenderia na íntegra? Não o anjo Gabriel, questionador e sem muita paciência com o egoísmo dos homens, causará várias situações constrangedoras e engraçadas para salvar os seres humanos de si mesmos!
Um livro com histórias de pessoas como nós, que se enfurnam numa rotina enfadonha e esquecem de viver, sobrevivem a cada dia como se nunca fossem morrer, deixam seus sonhos para um amanhã que nunca chega... Mas uma hora acordamos ou um anjo nos acorda!"


Book Trailer do livro:
https://www.youtube.com/watch?v=cdJwDgSa10I

O lançamento oficial do livro será dia 03/09/2016 as 21h no estande 045 da Chiado Editora na Bienal de SP

Links para compra do livro;
Livro físico:
https://www.chiadoeditora.com/livraria/um-anjo-na-terra


Vocês tambem podem entrar em contato com a autora pelo email: luanabarro@gmail.com


SINOPSE:
Depois de escaparem da Ascensão, Amanda, Lina, Stryker, Ripley e Kai são fugitivos procurados pela galáxia, morando escondidos na fortaleza invisível da Belladonna – e a descoberta de como planetas do Tipo 13 ascendem de nível no cosmos tem consequências imediatas entre as relações da nave. O grupo relutantemente decide então retornar à Terra o mais rápido possível em uma tentativa de prevenir o planeta contra uma iminente vingança de Nitro contra Amanda – mas são surpreendidos ao encontrar apenas destroços onde nosso planeta existia e serem jogados para fora da Belladonna no vácuo do espaço por um grupo desconhecido, que saqueia a nave e os abandona pra morrer. Protegidos apenas pelos seus trajes espaciais – com uma quantidade limitada de oxigênio racionando cada respiro – o grupo se encontra flutuando na escuridão, consumidos pelo nada e sem uma hipótese ou chance restante nas mangas – quando do meio do infinito de estrelas uma de suas luzes ganha força, como se um planeta estivesse rasgando o céu voando em sua direção. No entanto, a luz que avançava como um tiro rumo a eles não pertencia a um planeta, e sim à cauda reluzente de uma libélula monstruosa – do tamanho de uma cidade – voando pelo Cosmos não para se alimentar de sua proteína (por mais faminta que estivesse) – mas pelas ordens de seu capitão.

Primeiramente, faço minhas as palavras de nossa querida Holly Golightly, ao dizer QUEL LIVRO!
Somente quem já assistiu ao filme vai entender essa reação.

Ao comparar os eventos de Interdimensional com Intergaláctica observamos um plot menos frenético que o primeiro, pois aqui o foco maior não é exatamente o quanto acontece, mas o impacto de cada mínima linha.
Muitos personagens dão seu primeiro Oi para o universo de Trotta, enquanto outros dão seu último suspiro.
Apresenta-se, também, mais uma teoria envolvendo o universo e as dimensões (cof cof), que me deixou pensando no tanto que seria real ou fictício, no melhor efeito Donnie Darko (ah, as conspirações <3) . No entanto, a maior agonia nos livros do autor é a possibilidade, em um futuro próximo, de que realmente existam (será?) seres extraterrestres, vida inteligente (inteligente, sarcástica e um pouco feladaputa), alheios a nós. Não somos, ou nunca fomos, sozinhos. E segundo Trotta, tal perspectiva pode não ser tão promissora.
O autor retoma conceitos como a existência de universos paralelos, e uma retomada dos conceitos pós-vida, na criação (criação ou ilustração? RESPONDE ESSA, SR. FRANCO) de um dos universos mais complexos da ficção. (Ficção?)
Acontece algo surpreendente. Amanda perde um pouco de seu egocentrismo. Ela não é mais o enfoque, mas sim o que acontece ao seu redor. A psiquiatra, pela primeira vez, percebe-se pequena em meio ao universo que F.P. expande com maestria. Muito mais é explorado, expandido, enquanto o autor mantém sua narrativa simples, cheia de voltas. Os personagens, velhos conhecidos, são apresentados como mais humanos. Há mais sentimento, há tempo para se pensar, respirar.
Eu realmente comecei a valorizar uma calmaria, ei!
Em terra de Intergaláctica, sobrevive quem souber o que está acontecendo quando algo novo acontece. Simplesmente, em Interdimensional há menos reviravoltas que no seu antecessor, embora as aqui presentes sejam mais significativas. Há mais humanidade em tudo de monstruoso.
É impossível não pontuar o crescimento do autor como escritor, seus personagens, seus diálogos afiados, sua narrativa cada página mais fluida, cativante. Seu universo, cada vez maior. Nós, cada vez menores em meio a tudo.
Uma leitura a cada linha mais incrível, empática.
(O que pode significar um ataque nervoso, principalmente na sequência em que a ganguezinha que eu queria fazer parte, cof cof da Amanda está perdida no vácuo do espaço, em uma agonizante jornada rumo à morte certa).


E Interdimensional tem a Lexxx.
Embora as ~circunstâncias~ tenham me feito achá-la nojenta de início, ela é a Lexxx.
Sim, temos uma nova rainha do livro. Desculpe, Amanda, ninguém derruba a nave-inseto.

"O que é redenção?" perguntou Prince. "Todos pecamos por traços genéticos, está em seu sangue. Pecamos de todas as maneiras e definimos o mal fazendo o bem e levamos isso conosco. Definimos o bem ao fazer o mal e nos condenamos - portanto, não existe alívio para essa condição humana de julgamento e conhecimento que cria leis e pecados." 

5 galáxias.


Elizabeth é uma mulher infeliz. Passara anos em um casulo, amadurecendo seus planos, metamorfoseando seu ser. Esperando a hora certa.
Presa a um homem inescrupuloso, privada de seus sonhos, Elizabeth procura, incansavelmente, uma válvula de escape, qualquer coisa que a distraia de sua realidade revoltante. E, talvez, seu único meio de fugir de sua situação seja um romance proibido.
Com um grande choque, o ódio culmina. A cada dia, ela conta as horas para sua grande fuga.
E ela quer alçar voo, mesmo que seu bater de asas derrame sangue.





Resenha:

Livro: O Veneno da Borboleta
Autor: Francesco Procat
Editora: Percurso
Edição: 2016
Paginas: 160

Hoje trago uma resenha que fiz com um carinho especial, todos os livros que leio me dedico a fazer o meu melhor, mas o Livro O Veneno da Borboleta alem de uma ótima leitura foi escrito por um amigo querido e que é co-autor deste blog o nosso colunista Francesco Procat, espero que gostem!!!

A sociedade, em várias culturas e países, conquanto não em todas, tem aceito, estabelecido como válidas em condições de igualdade união de conveniência  e tradicionalmente, no domínio humano, e na maioria das sociedades, ao se falar em relação conjugal de conveniências. Em que há regras preestabelecidas; convenções: comportamentos que agridem as conveniências sociais. Aquilo que pode trazer vantagens para a pessoa que o utiliza: relacionamento de conveniência.
Necessidade é o que nomeia aquilo que é inevitável, imprescindível, fundamental, que tem grande importância, que deve ser feito ou cumprido por ação, imposição ou obrigação. No caso de nossa personagem principal, Elizabeth, uma mulher que foi vendida pelos próprios pais para garantir o sustento da família e o bem estar de Elizabeth, porem o homem a quem ela foi entregue mesmo não deixando que nada lhe faltasse a mantém presa e sobe seu domínio em todos os aspectos. Ela sonha em fugir dali, sonha em ter uma vida feliz e realizar seu desejo de ser estilista, ela odeia o homem que pensara ser um príncipe encantado, mas que na realidade se tornou seu carrasco. Elisabeth pensa em varias possibilidades de liberdade, seja com um romance proibido, uma falsa amizade
A cada dia, ela tem mais ódio do marido que a mantém presa e longe sonhos e isso lhe da vontade de mata-lo.
Esse livro é fantástico!O tipo de livro que você começa a ler e não consegue mais largar até atingir a última página
É fácil se identificar com os personagens, muitas vezes eu me vi no lugar da Elisabeth  e tomando as mesmas decisões que ela. E no final de tudo, valeu muito a pena ler.
A escrita do Francesco e envolvente e poetisa, com doses de mistério, drama e romance, tudo na medida certa, o livro O Veneno da Borboleta e uma leitura marcante e rápida, menos de um dia.







Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho.



Resenha:

Livro: Os Bons Segredos
Autora: Sarah Dessen
Editora: Seguinte
Edição: 2015
Paginas: 403

É impossível não se envolver com os livros da Sarah Dessen. Amei a forma como a autora descreve as dificuldades enfrentadas pelos jovens adultos, narrando com riqueza de detalhes o quanto a vida pode ser cruel nessa idade.
Personagem central da história, a jovem Sidney é bonita, inteligente, mas também é a filha deixada de lado, que sempre viveu à sombra de seu irmão Peyton, e nunca se importou com isso, sua vida muda literalmente da noite pro dia quando seu irmão sai de uma festa embriagado e atropela um adolescente no caminho, deixando-o paraplégico. Após esse acidente, Peyton é preso mudando todo o mundo que Sidney vive.
Após a prisão do irmão as coisas mudaram, tanto financeiramente quanto emocionalmente, contenção de despesas e etc..., mas o que mais assusta a jovem é a mudança dos pais. Eles nunca prestaram muita atenção nela, mas tudo piorou depois que eles passaram a focar na liberdade do filho mais velho. Sydney se sente solitária na própria casa. Ela sente falta dos pais e do irmão, ao mesmo tempo em que não aceita e entende suas atitudes. Para ela o irmão precisa pagar pelo que fez, seus pais precisam aceitar o crime do filho mais velho. Sydney precisa recomeçar, um colégio novo, novos amigos, Assim, inicia uma nova fase em um colégio público, onde ira conhecer Os Chatham, uma família onde ela ira encontrar amizade, companheirismo e amor.
A relação da Sydney e do seu irmão melhora no decorrer da trama, o jovem que é constantemente apresentado como um delinquente, que teve todas as oportunidades de crescer na vida e as desperdiçou. ao longo da história a autora mostra que nem tudo é como parece, que as atitudes dele não podem ser justificadas mas sua personalidade sim. ver Sydnei finalmente entender quem verdadeiramente é seu irmão. pra mim foi a melhor parte da trama Outro ponto que amei foi a participação da família Chatham na história. Eles são os grandes responsáveis pelo amadurecimento da Sydinei, afinal eles apresentam para ela o que é ter amor familiar, o que é contar com amizades verdadeiras, e como é levar uma vida feliz mesmo diante das dificuldades do dia a dia, e surge um romance entre Sydney e Mac, um dos filhos dos Chatham.
"[...] Quando nos vemos diante da coisa mais assustadora, só queremos voltar atrás, nos esconder no nosso lugar invisível. Mas não podemos. É por isso que o importante não é apenas sermos vistos, mas ter alguém que nos veja também."
A família é unida por múltiplos laços capazes de manter os membros moralmente, materialmente e reciprocamente durante uma vida e durante as gerações.
As famílias como agregações sociais, ao longo dos tempos, assumem ou renunciam funções de proteção e socialização dos seus membros, como resposta às necessidades da sociedade pertencente. Nesta perspectiva, as funções da família regem-se por dois objetivos, sendo um de nível interno, como a proteção psicossocial dos membros, e o outro de nível externo, como a acomodação a uma cultura e sua transmissão. A família deve então, responder às mudanças externas e internas de modo a atender às novas circunstâncias sem, no entanto, perder a continuidade, proporcionando sempre um esquema de referência para os seus membros
A antiga disputa pais e filhos, entre irmãos pelo afeto do pai ou da mãe ou de ambos, ou pelos afetos de determinado irmão ou irmã estão no escopo do desejo, onde sempre é possível perceber em uma fala algo de incestuoso, seja pela narrativa dos afetos ou das ações. Estar no mundo é participar de suas relações sociais, onde há sempre o que desvendar enquanto significante.

Os bons Segredos é uma leitura envolvente, reflexiva, fácil de ler e se encantar. Os Bons Segredos conquistou um lugar no meu coração. 

A amizade leva a um sentimento de altruísmo e lealdade, ao ponto de colocarmos os interesses do outro à frente de seu próprio interesse. Amizade resume-se em lealdade, confiança e amor, seja fraterno ou mais profundo.







Press